quinta-feira, 17 de junho de 2010

Por amor aos cavalos

     Por amor aos cavalos não podemos fechar os nossos olhos e ver as barbaridades que são feitas a eles todos os dias. Precisamos dizer não às agressões a que os cavalos são submetidos por seus donos, ou melhor, seus algozes. Essas imagens recebi num email, que precisa de 500 assinaturas para mandar a organização internacional de proteção aos animais PETA. Já mandei para os meus contatos, se você quiser fazer parte desse grupo entre em contato comigo que eu te enviarei o email.
Por favor, vamos fazer alguma coisa!

sábado, 12 de junho de 2010

Em respeito e defesa da vida animal - Projeto de Lei 215/2007, de autoria do Deputado Tripoli


O Projeto de Lei n. 215/2007, que institui o Código Federal de Bem-Estar Animal, de autoria do Deputado Federal Ricardo Tripoli (PSDB-SP), é um forte instrumento legal de defesa animal. Acompanha as exigências da União Européia, vedando práticas e regulamentando atividades na área de produção animal, experimentação e controle populacional de animais em meio urbano. Aprovar um projeto deste porte no Congresso Nacional é bastante complexo, pois a maioria dos parlamentares não se importa com a vida animal. Por isso, precisamos demonstrar a força das pessoas que amam e defendem os animais com este abaixo-assinado, pedindo urgência na aprovação do Código de Bem-Estar Animal.
Abaixo assinado em respeito e defesa da vida animal !
     
Precisamos de 500 mil assinaturas!

Participe! Traga seus familiares, amigos, colegas!

Os animais não dominam nossa linguagem, não escrevem, não votam. Nós falamos, lutamos, e temos força para defendê-los!

Assine por favor!

Bola de pelos


      Como fazem uma meticulosa higiene diária, os gatos desenvolvem uma bola de pelos no estômago. Isso acontece porque a língua de um gato parece uma lixa ao toque, porque possui muitos pequenos filamentos. Esses filamentos prendem o pelo lambido, que depois é engolido pelo gato. Se o pelo do gato se acumular no estômago sem passar para o trato intestinal, o gato irá vomitar, o que é um recurso natural para se livrar dos pelos.
      A perda excessiva de pelos também predispõe o gato à bola de pelos. Gatos que vivem dentro de casa, mais expostos à luz artificial, perdem mais pelos dos que vivem fora e dentro de casa. A muda de pelos também pode se intensificar por deficiência nutricional, anormalidade hormonal ou doença crônica. Gatos nervosos ou submetidos a estresse intenso se lambem demais aumentando a ingestão de pelos.
      A maioria dos gatos elimina as bolas de pelos naturalmente. Vômitos esporádicos são o sinal mais comum de presença de bolas maiores no estômago do gato.
      Para minimizar as bolas de pelos, a escovação diária no gato ajuda bastante. Também pode-se administrar semanalmente um produto laxativo de bola de pelos que ajuda a passagem dos pelos lambidos e a aglomerados através do sistema digestivo do gato.
      Se o material vomitado contém sangue e cheiro ruim, entre em contato imediatamente com o veterinário.

Fonte: Por Sheldon Rubin - traduzido por HowStuffWorks Brasil,  Resumão - Como cuidar bem do seu gato

quinta-feira, 3 de junho de 2010

O pulo do gato: um segredo anatômico



      Como todo bom felino, o gato, ao perceber a presença da presa, prepara-se para o bote. Este é um dos seus números mais preciosos: o famoso pulo do gato. Ele pode se aproximar sem ser visto e sem ruídos. Para isso, conta com o auxílio de suas patas digitígradas, ou seja, caminha literalmente na ponta dos pés. Mas o segredo do sucesso não está apenas nesse detalhe. Cada parte de seu corpo foi adaptada para movimentos ágeis e inesperados. Um deles é a corrida de pequena extensão, na qual é perito. Ganhando velocidade, salta flexionando as patas traseiras e, estendenso-se completamente no ar, cai sobre a presa. Se o bote falhar, ele pode rapidamente repetir a proeza e cercando a presa de outro ângulo.
      Por trás de todas essas fases está um magnifico conjunto de ossos e  músculos. A coluna vertebral dos gatos é extremamente flexível, pois a articulação entre as vértebras, mais numerosas do que nos humanos, é menos rígida, com ligamentos eláticos e poucas proeminências. O mesmo acontece com sua caixa torácica, pequena e bastante cartilaginosa. Essas características, somadas, dão-lhe a capacidade de arquear as costas ou achatar o corpo de tal forma que consegue muita facilidade passar por frestas muito estreitas. A coluna curvada guarda uma imensa energia potencial, funciona como uma mola. Essa vantagem, aliada à poderosa impulsão da musculatura dos membros traseiros, já lhe basta para galgar um muro alto sem precisar correr. Essa mesma flexibilidade anatômica permite também ao gato mudar rapidamente de posição, saltar para trás, rolar no chão ou escalar um telhado. É um verdadeiro acrobata da natureza.

Fonte: Globo Ciências. Ano 7, nº 78
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...