quinta-feira, 26 de junho de 2008

Guia de Primeiros Socorros para Cães e Gatos

MEDIDAS GERAIS: ANALISAR SE O CASO É DE EMERGÊNCIA OU URGÊNCIA.

Emergência: Requer medidas imediatas das quais a vida do animal irá depender .
Exemplo: hemorragias, parada cardíaca e/ou respiratória, atropelamentos, envenenamentos, choques elétricos, afogamento, inalação de fumaça nos incêndios,etc..

Urgência: São casos de menor gravidade, mas que devem ser socorridos a tempo para que o animal não tenha complicações mais graves.
Exemplo: vômitos ou diarréias intensos, piometra (infecção uterina nas cadelas), ausência de urina por mais de 24hs, convulsões e outros.

SEJA QUAL FOR O CASO, PROCURAR MANTER A CALMA.
Em desespero, o proprietário pode cometer erros ou não conseguir colocar em prática uma medida simples, mas importante.

SEMPRE ANALISAR SE O ANIMAL ENTROU EM ESTADO DE CHOQUE.
Este estado significa um deficiente suprimento de sangue para os órgãos vitais e pode ser fatal.

Estado de Choque
Parada Cardíaca e/ou Pulmonar
Hemorragias
Cortes Profundos
Choques Elétricos
Queimaduras
Vômitos e Diarréias
Ataques Epiléticos
Picadas de Cobra
Fonte: http://www.pea.org.br/cuidados/primeiros_socorros.htm

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Pesquisas em animais

"A Vida jamais poderá ser compreendida nos termos que queria Descartes que, nos seres vivos, com exceção dos Humanos, via simples máquinas, relógios ou autômatos; robôs, como diríamos hoje. Mas esta visão ainda está bem viva, muito viva, por exemplo, nos laboratórios de toxicologia da indústria química, que submete milhões de criaturas indefesas - macacos, cachorros, gatos, ratos, porquinhos-da-índia e outros - por ela simplesmente classificados de 'cobaias', a torturas indescritíveis para, que em enfoque ridiculamente bitolado, estabelecer, entre outras abstrações indecentes, a 'dose diária admissível' dos venenos com que fazem seus grandes negócios. Esta visão, é triste dizê-lo, é comum em muito curso e aula de biologia, e nas modernas fábricas de carnes e ovos, eufemisticamente chamadas de 'criação confinada' e 'aviários'." (p.93, texto original de 1986)

(José Lutzemberger)
Texto retirado do site: http://www.ufrgs.br/bioetica/lutz.htm

quarta-feira, 11 de junho de 2008

Festas juninas, fogos e animais

Fogos de Artifício


Os fogos são responsáveis por acidentes dos mais variados, principalmente com cães. E, em momentos de jogos e festas juninas, são ocasiões em que os animais mais se perdem de seus donos. Os animais se assustam facilmente e tendem a correr desorientados e sem destino.
Garanta condições mínimas de segurança, evitando ambientes conturbados e barulhentos. Dê-lhe paz e tranqüilidade.


Os perigos dos fogos


- FUGAS – Perdem-se e podem ser atropelados, causarem acidentes ou morrer, ou esconderem-se e ficarem aprisionados em lugares de difícil acesso, como esgotos e bueiras.
- COMPORTAMENTO DESESPERADO – Enforcam-se na própria coleira, atiram-se pelas janelas (até de alturas superiores), atravessam portas de vidro, batem a cabeça contra paredes ou grades, afogam-se em piscinas. Estão sujeitos a mutilação ou morte.
- BRINCADEIRA COM FOGOS – Podem abocanhar rojões, achando que é um objeto para brincar e ficarem gravemente feridos. Deixe-o longe de onde estiverem soltando fogos.
- TRAUMAS, BRIGAS, ATAQUES – Estão sujeitos e mudança de temperamento, ficando agressivos, atacando pessoas, animais com quem convivem ou o próprio dono.
- PROBLEMAS NEUROLÓGICOS – Podem sofrer convulsões, perder a audição e outros problemas neurológicos.
- PARADAS RESPIRATÓRIAS.


RECOMENDAÇÕES
CÃES
- Para abafar o som, colocar cobertores pesados em janelas, no chão ou sobre o animal.
- Não deixar muitos cães juntos, pois excitados pelo barulho, podem brigar até a morte.
- Distraia o animal, aumentando, aos poucos, o volume do som ou a TV, para acostumá-los com sons altos.
- Procurar um veterinário para sedar o animal que não possam ficar dentro de casa. Animais acorrentados podem acabar se enforcando com a própria corrente.
- Alguns veterinários recomendam tampões nos ouvidos.
-Calmantes naturais.


GATOS
- Ceda um quarto com cama e armário aberto ou faça tocas com cobertores, formando abrigos confortáveis. Os gatos devem ficar todo o tempo recolhidos nesse quarto, onde se sentirão mais seguros.
- Colchas, colchões e cortinas nas janelas abafam os estrondos dos fogos.
- Retire qualquer objeto que possa ser quebrado pelo animal.
- Deixe água e comida nos cantos para evitar sujeira.
- Se os seus gatos vivem soltos na rua, recolha-os com antecedência e proceda da mesma maneira.


Texto retirado do site: http://www.apaab.org.br/Content/Noticias.aspx?id=85

quarta-feira, 4 de junho de 2008

Equinos: a escravidão animal na rua

Talvez uma das formas mais visíveis de escravidão animal seja a dos eqüinos, por conta de seu uso para tração, além se serem usados em fazendas e em 'esportes'. Ao passo que os animais de fazenda são mantidos longe do contato com o público (até eles aparecerem esquartejados em supermercados e açougues), os animais usados em tração circulam entre nós. O Fantástico alguns meses atrás mostrou uma matéria sobre crueldade contra animais pelo Brasil afora que ilustrou bem o horror que é a vida desses animais que são obrigados a trabalhar muito além de seu limite físico, sem alimentação e cuidado veterinário adequados. Não se engane: o carroçeiro não é um trabalhador, mas sim um escravizador de animais. Trabalhador é quem usa os próprios braços para executar um serviço.


O problema, infelizmente, é mundial. Mesmo uma cidade de primeiro mundo como Nova Iorque permite o uso de charretes como 'atração turística', ignorando completamente o pavor que o cavalo sente no meio do trânsito de uma metrópolis como aquela. Um novo filme chamado Blinders faz parte de uma campanha para abolir as charretes em Nova Iorque. O website do filme inclui uma petição para o prefeito de Nova Iorque.
Se na sua cidade existem carroças circulando pelas ruas, peça a prefeitura para proibí-las. Regular o seu uso não adianta nada para os cavalos, que continuarão a ser explorados além do limite suportável. Um exemplo de uma iniciativa local é uma petição para acabar com o uso de charretes em Paraty no Rio de Janeiro. Apoie a iniciativa.


Texto retirado do site:http://loboreporter.blogspot.com/2008/06/eqinos-escravido-animal-na-rua.html
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...